LAVA JATO PITBULL
Prefeitura de Campo Belo
Real Supermercado
Empório VSN +
Drogaria Líder Saúde
Minas Gerais

Estrutura da mina Gongo Soco, em Barão de Cocais, tem movimentação de quatro centímetros

Participe enviando notícias para nosso whatsapp: (35)9 9728-9913

16/05/2019 09h50
Por: Redação
Fonte: Hoje em Dia
216
Hoje em Dia
Hoje em Dia
PUBLICIDADE

Com uma movimentação de quatro centímetros em um talude no complexo minerário de Gongo Soco, da Vale, em Barão de Cocais, a estrutura pode se romper a qualquer momento.

Segundo o tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, isso pode ser um gatilho para que a barragem Sul Superior, que "segura" 4,8 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério e está localizada a cerca de um quilômetro e meio do talude, venha a se romper. 

"A barragem Sul Superior de Gongo Soco continua no nível 3 de risco. Foi percebida uma deformação de aproximadamente quatro centímetros no talude, que está sendo monitorado. Se houver um rompimento do talude ele vai carrear diretamente para dentro da cava.

Em um primeiro momento isso não implica no rompimento da barragem, mas por meio de uma vibração ou pequeno abalo sísmico, pode ser um gatilho para que a barragem se rompa", explica.

PUBLICIDADE

O talude é um plano de terreno inclinado que limita um aterro e tem como função garantir a estabilidade do aterro.  A situação da barragem Sul Superior é considerada instável desde o dia 22 de março, quando seu nível de alerta foi elevado para 3, grau máximo de risco para barragens no que se refere à situação de iminência ou ocorrência de rompimento. 

Mas mesmo antes da elevação do nível de risco de 2 para 3, as comunidades que seriam atingidas pela lama de rejeitos em caso de rompimento já haviam sido evacuadas.

No dia 8 de fevereiro, 14 dias após a tragédia em Brumadinho, cerca de 500 pessoas residentes nas comunidades de Socorro, Tabuleiro, Gongo Soco e Piteiras foram desalojadas por conta do acionamento do Plano de Ação de Emergência de Barragem de Mineração (PAEBM).

PUBLICIDADE

Segundo a Vale, a mineradora está avaliando as possibilidades de eventuais impactos sobre a barragem. As autoridades competentes foram envolvidas para também avaliarem a situação e, em caso de necessidade, definirem as medidas preventivas a serem tomadas

 A cava e a barragem são monitoradas 24 horas por dia, de acordo com a empresa.

As informações da Defesa Civil sobre a situação do talude em Gongo Soco foram repassadas durante a coletiva em Itabira, que tratava do simulado pelo qual os moradores irão passar em junho. Veja abaixo a coletiva:

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Campo Belo - MG
Atualizado às 00h50
13°
Poucas nuvens Máxima: 23° - Mínima: 10°
13°

Sensação

8.5 km/h

Vento

81.7%

Umidade

Fonte: Climatempo
Anúncio
BANNER CASA DE CARNES AMÉRICA
Municípios
BATATA & CIA PROMOÇÃO
Últimas notícias
Rendas e Tules
Mais lidas
BANNER REAL
Anúncio